Minha história

Andrea Roach

Minha educação básica foi em francês e, nessa época, eu costumava dizer que seria tradutora quando crescesse. Na adolescência, aprendi italiano em uma instituição local.

Mas cheguei ao ensino médio e vi que era boa em Química e Matemática, então, resolvi cursar Engenharia Química na Universidade da Colúmbia Britânica, em Vancouver. Lá, me apaixonei pela língua espanhola e comecei a estudar espanhol durante um intercâmbio que fiz na Inglaterra no terceiro ano da universidade.

Depois de alguns anos trabalhando em Calgary como engenheira de processos na Bantrel Co., uma empresa do setor canadense de petróleo e gás, resolvi fazer algo diferente. Então, fui para o México estudar espanhol e depois morei em El Salvador por dois anos, onde tive a oportunidade de trabalhar para a Cruz Vermelha Americana em um projeto hídrico rural, lecionei inglês e francês e fiz traduções esporádicas.

Ao voltar para o Canadá, ganhei de presente um CD da Adriana Calcanhotto e descobri que gostava de português, então, resolvi aprender mais um idioma. Logo em seguida, fui contratada pela ONG Centre for Affordable Water and Sanitation Technology (CAWST), sediada em Calgary, como Consultora Técnica Internacional para a América Latina.

Trabalhei por quatro anos em 12 países da América Latina, conduzindo workshops sobre Água e Saneamento para organizações locais, órgãos públicos e agências internacionais. Nesse período, eu precisava usar meus quatro idiomas quase todos os dias, toda hora, e adorava observar a diversidade de sotaques do português e do espanhol pelas diversas regiões em que transitei. Por ser fã inveterada de idiomas, minha sensação era de estar vivendo um sonho. 🙂

Com o passar do tempo, senti vontade de voltar à engenharia “tradicional”, desta vez, no setor de tratamento de água. Trabalhei na CH2M MILL, que me deu a oportunidade de morar quase um ano no Brasil. Lá, cuidei de projetos de tratamento de água para a maior siderúrgica da América Latina, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). Nessa época, precisei fazer muitas traduções devido à intensa colaboração que havia entre os escritórios da CH2M HILL nos Estados Unidos e no Brasil.

Em 2012, finalmente me senti pronta para traduzir em tempo integral. Para fazer essa transição, diminuí minha jornada de trabalho na CH2M HILL, aceitei o cargo de Coordenadora de Traduções na CAWST, onde coordeno a tradução de materiais de treinamento para espanhol e francês, e mergulhei no estudo de Linguística da Universidade de Calgary.

Em 2013, voltei a morar na costa oeste do Canadá e conquistei o título para fazer traduções certificadas do português para o inglês e do espanhol para o inglês.